Live shopping e Facebook: rede social abandona as vendas online e foca em reels

Live shopping e Facebook: rede social abandona as vendas online e foca em reels

COMMERCE

O live shopping veio com a premissa de ser uma tendência sólida e que até então viria para ficar. No entanto, para o Facebook a história não é bem essa.

Essa prática ganhou força por conta da preferência crescente dos usuários do Facebook e Instagram por conteúdos em vídeo. Assim, quando as lives surgiram, milhares de pessoas paravam de rolar o feed para assistir às programações ao vivo.

Sabendo desse comportamento, empresas de diferentes segmentos e tamanhos começaram a fazer live shopping, ou seja, vender ao vivo os seus produtos, assim como tirar dúvidas, criar cupons de desconto relâmpago e muito mais.

De fato, no início dessa estratégia, podemos ver grandes cases de sucesso, como o da Vtex com a Samsung e demais gigantes do mercado, que até então pensavam que tinham encontrado uma mina de ouro sem fim.

A verdade é que assim como as mudanças do comportamento do consumidor trouxeram tendências, como o live shopping, elas também tiraram essa prática do topo, de forma a colocar os vídeos curtos no auge dessa vez.

Mas será que isso marca o final das lives? É importante entender um pouco mais desse universo para saber quais passos dar para se manter inovando e por dentro do que está acontecendo nas redes sociais.

Continue a leitura e entenda um pouco mais sobre o live shopping e as decisões do Facebook em relação a essa estratégia.

Dados sobre o live shopping

Antes de falar sobre o live shopping, nada melhor do que conhecer um pouco mais do comportamento dos brasileiros na internet! Segundo estudo da ABRAS, 87% dos brasileiros compram pela internet, ao passo que 75% usa as redes sociais para isso.

Esse aumento significativo de compras online e pelas redes sociais se dá principalmente pela pandemia e a necessidade de comprar itens a distância.

Falando em redes sociais, 61% desses consumidores afirmaram ser adeptos ao live marketing, principalmente devido aos descontos relâmpagos disponibilizados durante a transmissão.

Perceba que esse tipo de programação tinha grande procura justamente pelos descontos e nem sempre pela sua longa duração e os longos minutos falando sobre determinado produto.

Por último, esses mesmos usuários consideram o Instagram a melhor rede social para comprar, de forma que 70% deles a preferem para continuar fazendo as suas transações.

Sendo assim, inovar no Instagram é mais que necessário para atender as preferências dos usuários que, assim como a tecnologia, mostram constante evolução e mudanças nos hábitos de compra.

Por que o Facebook resolveu focar nos reels?

Segundo o Facebook, o recurso de live shopping, o de comprar produtos durante as lives, será extinto em outubro de 2022. No entanto, para quem gosta desse recurso, poderá continuar assistindo e fazendo vídeos ao vivo como estava acostumado antes.

Segundo os estudos dos responsáveis pelo Facebook e Instagram, as lives deixaram de ter o sucesso que apresentavam antes, de forma a diminuir cada vez mais o número de espectadores, compras e até mesmo engajamento durante essas transmissões.

Para atender melhor os seus bilhões de usuários, a plataforma decidiu que os vídeos curtos são muito mais aceitos pelos usuários, de forma a focar ainda mais nesse tipo de conteúdo.

Mesmo que as lives não sumam, a tendência é que os donos dessas redes tenham maior preocupação em trazer melhorias e mais força para o reels, por exemplo.

É o fim das vendas ao vivo?

Assim como outras tendências que fizeram sucesso, como as compras por telefone e até mesmo os antigos fóruns para falar sobre produtos e empresas, é comum que transformações ocorram com as lives.

Segundo o Facebook, as pessoas estão com um foco crescente nos vídeos curtos, de forma que será muito mais benéfico fazer conteúdos para o Reels ao invés de investir nas lives, que mesmo ainda existindo não possuem o mesmo peso de antes.

Atualizar-se constantemente é uma necessidade, principalmente se a sua empresa está na internet e possui uma loja online.

E aí, pronto para focar na onda dos vídeos mais curtos e virais? Aproveite para ler também sobre como aumentar as vendas da sua loja online com o frete.